Como manter a casa segura para as crianças

13/04/2017 Sustentabilidade/Saúde e Bem-Estar

Capa do artigo: Como manter a casa segura para as crianças

Crianças pequenas vivem em um período constante de experimentação e procuram aprender por meio de seus próprios instintos e curiosidades. Quando começam a engatinhar, vem a necessidade de explorar cada canto ou objeto da casa que encontram pela frente, sem distinção. Mas nem sempre isso significa que certas brincadeiras ou cômodos são adequados para que o seu desenvolvimento aconteça de forma segura.


Por isso, separamos 13 dicas que ajudarão a evitar certos sustos e fazer da sua casa o ambiente mais seguro para os seus filhos. Confira as mudanças simples que devem ser feitas em todos os cômodos e em algumas áreas que oferecem mais riscos:


Mantenha toda a casa segura


Crianças são curiosas e tendem a querer brincar com móveis e utensílios da casa sem ter a noção de que eles não foram feitos para isso. Em seu imaginário, não existe o ponto de vista do perigo, mas sim o da pura e simples diversão. Portanto, cabe aos adultos tomarem atitudes que dificultem o acesso a certos objetos ou regiões da casa, além de ter a atenção sempre voltada para as atividades do filho.


  • O primeiro passo para começar a transformar a sua casa em uma ambiente mais seguro é proteger as janelas e sacadas, principalmente se o seu apartamento estiver localizado em andares mais altos. Procure instalar redes de proteção, de náilon cristal ou polietileno, e certifique-se de trocá-las a cada três anos.


  • Caso o imóvel tenha escadas, é essencial instalar portões de segurança na base e no topo, para impedir que a criança tente subir ou descer sem a sua supervisão.


    Imagem


  • Tenha cuidado com as quinas dos móveis: se os da sua casa tiverem quinas afiadas ao invés de arredondadas, use protetores em todos eles.


  • Ao posicionar qualquer móvel, como a cama ou o berço, evite deixá-los próximos à janela, porque há o risco de a criança usá-los para escalar. Outro ponto importante para se pensar é o cuidado com berços e beliches: instale grades de proteção caso seu filho durma na parte alta de uma beliche e invista em berços com espaço de até 5 cm entre as grades.


  • Sempre verifique se o chão ou outras superfícies alcançáveis possuem objetos pequenos como botões, moedas ou tachinhas. Tirar esses objetos e brinquedos não recomendados para a idade da criança ajuda a evitar que eles engulam e acabem engasgando.


  • Proteja todas as tomadas com tampas, fita isolantes ou esconda-as, colocando os móveis na frente. Certifique-se também de que a criança não brinque com cortinas, cordas de persianas ou fios de eletrodomésticos.



Cômodos mais arriscados


Sem dúvidas, os dois cômodos que oferecem mais riscos para os pequenos são a cozinha e o banheiro, pois ambos exigem supervisão constante de adultos quando uma criança está por perto. Portanto, vale a atenção redobrada na hora de seguir as dicas e transformá-los em ambientes mais seguros:


  • Os perigos estão por todos os lados: fósforos, isqueiros, facas, álcool e outros objetos cortantes ou inflamáveis precisam ser guardados fora do alcance das crianças, de preferência em prateleiras e gavetas mais altas.


  • O fogão, por si só, concentra muitos riscos, sendo o pior deles a possibilidade de queimaduras. Portanto, se possível, evite usar as bocas da frente para cozinhar e certifique-se de que seu filho não consiga alcançar os cabos das panelas, virando-os para a parte interna do fogão.


  • Evite usar toalhas de mesa compridas para que seu filho não puxe e acabe derrubando em si mesmo algum objeto perigoso, como uma jarras, travessas ou pratos.


Ao invés de usar toalhas de mesa compridas, dê preferência para jogos americanos ou toalhas mais curtas. (Imagem: Pinterest)


  • Em relação ao banheiro, é preciso sempre testar a temperatura da água antes do banho e nunca deixar a criança sozinha, nem mesmo por pouco tempo. Lembre-se também de manter a tampa do vaso sanitário sempre fechada ou, se possível, lacrada, e de usar tapetes antiderrapantes para evitar escorregões.

  • Alguns produtos, como os de limpeza ou higiene, remédios e lâminas de barbear (ou outros objetos cortantes) devem ficar fora do alcance das crianças. Deixe-os sempre trancados em um armário ou em prateleiras mais altas. Acabe com o risco de a criança ingerir ou brincar com algo que possa lhe fazer mal.



Atenção às áreas externas


Depois de conferir se o interior da casa está pronto para receber os seus filhos com segurança, é o momento de cuidar das áreas externas, que também precisarão de muita atenção. Afinal, é normal que a criança se sinta atraída por quintais e jardins, sem entender que é necessária supervisão para brincar nesses espaços. Em especial, trouxemos dois locais que você sempre deve ficar de olho:


  • Piscinas: além da supervisão constante no momento em que as crianças estão nadando, você pode proteger a área da sua piscina com cercas e portões que  dificultem o acesso dos seus filhos quando você não estiver de olho.


Imagem


  • Garagens: por se tratar de um local que pode ter ferramentas cortantes, pesadas e até movimento de carros, o ideal é que as crianças nunca brinquem neste espaço. É importante também lembrar de sempre trancar o carro e manter as chaves longe do alcance dos pequenos, além de se certificar de que eles não estão por perto ao manobrar o veículo.


Tornar a casa segura para receber uma criança significa ir além de evitar os pequenos acidentes que podem acontecer no dia a dia. É importante ter atenção o tempo todo e, principalmente, ensiná-las desde cedo sobre o que é certo e o que é errado. O processo pode ser lento e trabalhoso, mas com o tempo há a compreensão das maneiras que elas mesmas podem agir para se manterem seguras.