Dá para comprar uma casa que não está quitada?

18/09/2017 Compra de Imóveis

Capa do artigo: Dá para comprar uma casa que não está quitada?

Quando alguém compra um imóvel, a ideia é habitar nele por um longo tempo. Isso reflete em diversas decisões tomadas na hora da compra, principalmente em relação à forma como o financiamento vai ser feito. No entanto, se as coisas não saírem como o planejado, vender um imóvel sem estar completamente pago pode ser uma realidade. Mas será que dá para comprar uma casa que não está quitada?


A resposta é sim! Uma casa que ainda não está quitada é uma possibilidade na hora de comprar um imóvel, mas é preciso ter alguns cuidados extras para que você não crie dor de cabeças desnecessárias.

Entenda as três principais formas como é feito esse tipo de compra:


  • Transferência de financiamento

A primeira opção para o comprador é continuar normalmente a pagar o financiamento iniciado pelo vendedor. Ao fazer isso, as condições do contrato original permanecem as mesmas, desde o número de parcela até a taxa de juros. O problema dessa opção é que essas condições podem não ser tão benéficas quanto eram na época em que o contrato foi negociado. Além disso, as parcelas  podem não estar adequadas à renda do comprador, por isso é sempre necessário verificar com o banco se a transferência é possível.


Saiba mais em: Guia rápido para entender o financiamento de imóveis


Lembre-se sempre de levantar toda a documentação necessária antes de concretizar a compra! É preciso ter certeza de todos os detalhes do contrato de financiamento original e saber se o imóvel está regularizado. Caso contrário, é melhor voltar a procurar um novo imóvel!


  • Refinanciamento

Se o financiamento original foi feito em um banco diferente do que você tem conta, uma outra possibilidade é o refinanciamento. Ao trazer o contrato para sua instituição financeira, as negociações vão se tornar mais favoráveis para o comprador. Por já ser cliente, o banco irá oferecer melhores condições e será mais flexível na hora de fechar o negócio.


  • O “contrato de gaveta”

Dentre as opções, o contrato informal entre vendedor e comprador é a mais arriscada, por não ter nenhum valor legal. No contrato de gaveta, quem paga o valor das parcelas do financiamento é o comprador, mas o imóvel continua registrado no nome do vendedor. Essa negociação pode ser útil quando não se tem crédito no banco ou quando a compra precisa ser urgente.


Apesar de ser simples, a longo prazo essa operação pode trazer alguns problemas e por isso ela não é indicada. Por exemplo, o vendedor sempre será obrigado a declarar no Imposto de Renda um bem do qual ele não tira proveito. Já para o comprador, as coisas complicam se o vendedor vier a falecer. Para reivindicar a posse do imóvel, seria preciso entrar na justiça com uma ação de usucapião.


Encontre o imóvel ideal para você!